Sanepar simula evacuação no entorno da Barragem Miringuava, em São José dos Pinhais
08/11/2022 - 08:32

A Sanepar fez no sábado (5) uma simulação de evacuação do entorno da Barragem do Miringuava, que está em construção em São José dos Pinhais. O treinamento teve a participação dos moradores e de várias instituições do Governo do Estado e da Prefeitura de São José, cumprindo obrigação legal prevista no Plano de Segurança da Barragem do Miringuava.

A simulação teve início às 10 horas com o acionamento de 16 sirenes instaladas nas regiões mais próximas da barragem. O objetivo foi que os moradores reconhecessem o som do alarme, seguissem pela rota de fuga até o ponto de encontro mais próximo de sua residência.

Foram mobilizados cerca de 100 profissionais da Defesa Civil Estadual, Defesas Civis de Curitiba e de São José dos Pinhais, do Corpo de Bombeiros, do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA), da Polícia Rodoviária Federal, do 17º Batalhão da Polícia Militar, da Polícia Civil, da Guarda Municipal de São José, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de São José, da Rede Estadual de Emergência de Rádio-Amadores (REER) e da concessionária de rodovias Arteris.

Foram utilizados dois helicópteros, um gabinete móvel de crise e 12 viaturas dos órgãos de resgate e salvamento. A pitbull Kira, do Corpo de Bombeiros, que esteve no trabalho de busca de desaparecidos nas inundações de Petrópolis (RJ), também participou.

Na área mais próxima à barragem, chamada de Zona de Alto Salvamento, estão sinalizadas seis rotas de fuga e pontos de encontro. Esta área está a até 10 quilômetros de distância a partir da barragem e o tempo de inundação, em caso de rompimento do reservatório, é de 30 minutos. Num raio de 28 km a partir da barragem, situa-se a Zona se Salvamento Secundário, que tem 35 rotas de fuga e pontos de encontro sinalizados.

O diretor de Meio Ambiente e Ação Social da Sanepar, Julio Gonchorosky, que acompanhou o exercício, destaca a importância do cumprimento legal e das regras de compliance e governança da Companhia. “Além de ser requisito legal, é uma responsabilidade da Sanepar para com a população do entorno. Nossas barragens seguem todos os procedimentos de segurança desde o projeto até a operação, com monitoramento 24 horas por dia. E a população está recebendo o devido treinamento para minimizar qualquer risco”, disse.

O coordenador estadual da Defesa Civil, coronel Fernando Schunig, avaliou como bastante positiva a ação realizada. “O exercício foi concluído dentro do prazo, com o cumprimento de todas as etapas. Estive em todos os pontos de encontro e os moradores estavam lá. É muito importante esta atividade e deve ser repetida”, disse.

MORADORES – No entorno da barragem, moram cerca de mil famílias, que estão cadastradas para receber SMS e estão divididas em grupos de WhatsApp. A Saneapr já promoveu 30 reuniões com a comunidade e 34 treinamentos que precederam a simulação de evacuação.

Aparecida Krupczak, que mora há mais de 30 anos na comunidade do Avencal, foi uma das que saíram com a família ao ouvir a sirene de alerta. “Entendemos como funciona. Embora a gente acredite que nunca haverá qualquer rompimento, é importante saber como funciona", disse.

Outra moradora, Marcia Luzia Giacomo, que mora no Avencal há um ano e meio, conta que participou da reunião e também foi até o ponto de encontro ao ouvir a sirene. “É tudo novo, não imaginava que moraria ao lado de uma represa tão grande. Entendi o procedimento”, afirmou.

MIRINGUAVA – A Barragem do Miringuava já ultrapassou 70% de conclusão. A represa terá capacidade de armazenar 38 bilhões de litros de água, com produção de 2 mil litros por segundo. Ela vai ajudar a abastecer o Sistema de Abastecimento Integrado de Curitiba (Saic), formado pelas barragens Iraí, Passaúna, Piraquara I e Piraquara II.

 

Fonte: AEN