Maio teve chuvas desproporcionais em diversas regiões do Estado, aponta Simepar
02/06/2022 - 14:48

Os dados do Simepar sobre as precipitações em 35 estações meteorológicas apontam para uma relação desproporcional da chuva no Paraná entre o acumulado para maio deste ano e a média histórica para o mês. Em 15 regiões houve aumento nas chuvas, mas em outras 19 elas ficaram abaixo da média – em uma, Guaíra, houve "empate técnico".

As chuvas concentradas nesta semana na Região Metropolitana de Curitiba e no Oeste e Sudoeste do Estado ajudaram essas regiões a ficar com registros acima da média. Isso ocorreu em Curitiba, Pinhais, Guaratuba, Cerro Azul, União da Vitória, Palmas, Pato Branco e Santa Helena. Em Rio Negro, na divisa com Santa Catarina, a Defesa Civil foi acionada para ajuda humanitária devido ao temporal que ocorreu neste domingo (29). Em São Miguel do Iguaçu, onde choveu mais de 250 mm, o índice pluviométrico ficou 65% acima da média histórica. 

No Norte e no Noroeste aconteceu o contrário e a precipitação ficou abaixo do previsto para o mês. Foi o caso de Cianorte, Campo Mourão, Londrina e Maringá. No Oeste também houve exceções, como Toledo, Cascavel e Assis Chateaubriand.

Na Capital, mais da metade dos 135 mm de chuva aconteceu nos últimos três dias de maio. O nível de água do Sistema de Abastecimento de Água Integrado de Curitiba está em 89,87%, com três barragens em 100%, segundo a Sanepar.

PRÓXIMOS DIAS – A quarta-feira (01) marcou um início chuvoso para o mês de junho na metade Sul do Estado, mas a tendência é de tempo firme no fim de semana.

“Tivemos um sistema frontal passando pelo Estado e que aqui permaneceu oscilando e mantendo essa continuidade de chuvas. É uma frente fria que atua até amanhã [quinta-feira] e começa a se deslocar para o oceano, e aí sim o tempo vai voltando a ter uma condição de tempo mais seco. Não quer dizer que não vai chover, mas esse tempo instável de chuva a qualquer hora e com pancadas moderadas é só até esta quinta-feira”, explica o meteorologista Lizandro Jacóbsen, do Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar).

O prognóstico para as próximas 24 horas ainda é de alerta, segundo o Simepar, pois as chuvas devem superar os 50 mm em muitas cidades e se aproximar dos 80 a 90 mm em outras. Com isso, vem o alerta para o risco de alagamentos devido ao volume já acumulado e a consequente subida do nível dos rios.

DEFESA CIVIL – Rio Negro, no Sul, registrou 90 mm entre domingo (29) e esta quarta-feira (01). A Defesa Civil do Paraná entregou telhas de fibrocimento para a cobertura das casas atingidas e auxiliou o retorno dos moradores. Até o momento, 110 residências foram danificadas. A Defesa Civil também planeja, junto à assistência social do município, o envio de colchões e cestas básicas.

“A chuva em si não causou tantos danos, mas sim o vendaval e o granizo. Porém, com a continuidade das chuvas, ainda pode haver outros eventos, como deslizamentos, alagamentos, inundações e enxurradas”, diz o chefe do sistema estadual de gerenciamento de riscos e desastres da Defesa Civil, capitão Anderson Gomes das Neves.

A população pode acessar os alertas da Defesa Civil e saber antecipadamente o melhor modo de se proteger ou de agir durante uma calamidade. Basta enviar SMS com o CEP da sua região para o número 40199. A Defesa Civil responde com mensagem de confirmação do cadastro e a partir deste momento o morador passa a receber alertas periódicos sobre a situação de maior gravidade em certa região.

 

Fonte: AEN

 

GALERIA DE IMAGENS