Governo envia doações de paranaenses para vítimas das enchentes no Acre
19/03/2021 - 16:26

O Governo do Estado enviou 48 mil peças de roupas doadas por paranaenses para a população do Acre, atingida por fortes enchentes no mês passado. As doações foram feitas nas sedes do Corpo de Bombeiros a partir de uma ação conjunta do Poder Público e da sociedade civil. O envio foi nesta sexta-feira (19).

A ação, iniciada em 25 de fevereiro, foi coordenada pela Superintendência Geral de Ação Solidária e contou com o apoio da Coordenadoria Estadual da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros. A coleta foi realizada durante 15 dias, em diversos pontos do Estado, inclusive nas sedes de órgãos da administração estadual.

“Nosso sentimento é de gratidão. Uma gratidão imensa a todos que compartilharam conosco a solidariedade nesta campanha. Agradeço a todos que doaram e também ajudaram divulgando mais para que outras pessoas pudessem contribuir”, disse a primeira-dama Luciana Saito Massa, que preside o Conselho de Ação Solidária.

Páscoa Solidária busca gerar renda e levar mais carinho para famílias paranaenses

Municípios afetados pela estiagem recebem auxílio

As 48 mil peças de roupa foram higienizadas e separadas por gênero e tamanho. Elas serão entregues em Rio Branco para a Secretaria de Assistência Social do Acre, que ficará responsável pela distribuição às famílias locais. A doação será destinada às dez cidades afetadas pelas enchentes: Rio Branco, Cruzeiro do Sul, Tarauacá, Feijó, Porto Walter, Santa Rosa do Purus, Rodrigues Alves, Mâncio Lima, Sena Madureira e Jordão.

As roupas foram enviadas em três caminhões da Defesa Civil paranaense, que partiram de Curitiba na manhã desta sexta-feira. A distância entre Curitiba e Rio Branco é de cerca de 3,7 mil quilômetros, e a expectativa é que a viagem dure entre três e quatro dias.

“A campanha foi um sucesso e demonstrou mais uma vez a solidariedade do povo paranaense, que mesmo neste momento de maior dificuldade decidiu ajudar nossos conterrâneos com um número de doações muito expressivo”, destacou o coordenador estadual da Defesa Civil, coronel Fernando Schunig. “É uma viagem longa, mas não vamos parar nossas ações de ajuda humanitária pela distância”.

ENCHENTES – As intensas chuvas no Acre em fevereiro causaram uma das maiores inundações de sua história, atingindo cerca de 130 mil pessoas – o que resultou no decreto de situação de emergência nos municípios. A enchente foi a maior já registrada em três dos dez municípios afetados. Segundo dados do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Acre, mais de 27 mil pessoas ficaram desalojadas e 4 mil desabrigadas por causa das chuvas, perdendo seus pertences. Além disso, o Estado também enfrenta a situação da pandemia da Covid-19, da dengue e conflitos migratórios na região.

“São conhecidas por todos nós as dficuldades logísticas das regiões mais extremas do Brasil por conta da sua dimensão. Já estamos vivendo uma série de restrições impostas pela pandemia da Covid-19, com muitas pessoas em situação vulnerável, e essas enchentes, comuns nessa época do ano, acabaram agravando o problema. Por isso a ação em conjunto com a primeira-dama do Estado, Luciana Saito Massa, que liderou o pedido de que o Paraná fosse solidário e ajudasse os irmãos do Acre”, explicou Schunig.

MAIS SOLIDÁRIO – O Paraná recebeu o prêmio de “Estado mais solidário do Brasil”, concedido pelo programa Pátria Voluntária do Ministério da Cidadania em março de 2020. A premiação foi criada como uma forma de reconhecimento e fomento às práticas cidadãs promovidas em todo o País.

Na ocasião, o Paraná ocupou os três primeiros lugares do pódio da premiação, que somou o número de horas de atividades voluntárias realizadas por organizações da sociedade civil, do setor público, empresarial ou por pessoas físicas. O Complexo Hospitalar do Trabalhador, a Liga Paranaense de Combate ao Câncer/Hospital Erasto Gaertner e o Pequeno Cotolengo do Paraná foram as instituições que lideraram o ranking nacional.

Fonte: Agência Estadual de Notícias 

Fotos de Valdelino Pontes

Últimas Notícias